3

Quando o cuidado se torna um transtorno

O culto ao corpo magro e aos padrões de beleza inatingíveis, para a grande maioria da população, é uma das peças chaves para entendermos porque os cuidados com a alimentação podem evoluir para um transtorno alimentar.

O dia 02 de junho foi escolhido mundialmente para a Conscientização sobre Transtornos Alimentares e nós aproveitamos o mês para dar luz a essa temática tão importante. Vamos juntos!

Os transtornos alimentares (TA) são doenças psiquiátricas caracterizadas por alterações graves do comportamento alimentar. Segundo a Sociedade Brasileira de Psiquiatria Clínica, 90% dos afetados são adolescentes e adultos jovens do sexo feminino. Se não tratados adequadamente podem originar prejuízos biológicos, psicológicos e aumento da morbidade e mortalidade.

Os principais transtornos alimentares são: Anorexia Nervosa (AN), Bulimia Nervosa (BN) e o Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica (TCAP). Você sabe a diferença entre eles?

  • Anorexia Nervosa (AN): é um distúrbio alimentar caracterizado pelo medo intenso de engordar associado a distorção da imagem corporal. Na anorexia o indivíduo geralmente inicia com restrição de alimentos ditos “engordativos” como os carboidratos e segue eliminando outros grupos alimentares. A prática de exercício físico é constante e sempre visando a queima de calorias. Além da restrição calórica intensa também é comum nesse distúrbio episódios de compulsão alimentar seguidos de práticas purgatórias como autoindução do vômito e abuso de laxantes e diuréticos.

 

  • Bulimia Nervosa (BN): esse distúrbio é marcado por episódios de compulsão alimentar seguidos de purgação, geralmente com vômito autoinduzido, em 90% dos casos. Na bulimia nervosa os sentimentos prevalentes são frustração, tristeza, ansiedade, que levam a culpa e autopunição. Esses sentimentos mantém o ciclo compulsão-purgação.

 

  • Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica (TCAP): nesse caso há compulsão alimentar, porém sem nenhum método de purgação. Os sentimentos mais presentes são o medo e a raiva e as principais causas são as desilusões amorosas, fracasso emocional ou a perda de um ente querido.

O tratamento dos transtornos alimentares é multiprofissional sendo necessária uma equipe composta por no mínimo médicos, nutricionistas e psicólogos para dar conta da complexidade dos distúrbios.

Mas voltando ao início da nossa conversa, agora que já entendemos a diversidade e gravidade dos transtornos alimentares, precisamos falar desse modelo de sociedade que vivemos.

Diversos estudos tem correlacionado o crescimento dos casos de transtorno alimentar com uso cada vez mais frequente da internet, principalmente das redes sociais. E não é de se espantar! visto que o próprio algoritmo favorece “corpos magros e perfeitos” e a cultura do emagrecimento e das cirurgias plásticas.

É importante ressaltar que os transtornos alimentares, principalmente Anorexia e Bulimia Nervosas tem seu início majoritariamente na adolescência, fase em que os indivíduos estão buscando se encontrar e são muitos suscetíveis aos estímulos externos.

São eles que estão recebendo esse excesso de imagens e padrões de vida irreais, por isso cuide não apenas do que você come, mas do que você consome virtualmente, e proteja as crianças e adolescentes a sua volta.

 

Alini Faqueti

Nutricionista Clinica e Funcional (CNR10 6181)

Gestora do Armazém do Colono

 

Post A Comment

Enviar mensagem
Precisa de ajuda? Converse com a gente no WhatsApp